terça-feira, março 21, 2006

ORÇAMENTO 2006

O Orçamento para 2006 é considerado “um orçamento expansivo” ao reforçar a aposta na realização de mais e melhor investimento, não sendo escamoteada, no entanto, a actual realidade financeira do município. A receita e a despesa global previstas ascendem a cerca de 34 milhões de euros.
Neste âmbito, o executivo camarário, liderado por Francisco Lopes, compromete-se a aumentar o montante das transferências para as juntas de freguesia, ao abrigo dos protocolos de delegação de competências, e a aumentar os montantes destinados ao apoio a iniciativas e projectos na área social, cultura, desporto e juventude.
A juntar a isto, é aumentada, significativamente, a verba destinada a despesas de capital e de investimento que sobe de 6.5 milhões de euros, registada em 2005, para cerca de 20 milhões de euros, em 2006. Em simultâneo, é mantido o montante das despesas correntes, reduzindo os custos com pessoal.
A maior fatia do “bolo orçamental” é canalizada para a execução de importantes investimentos há muito desejados pelos lamecenses, como é o caso da recuperação do Teatro Ribeiro Conceição, melhoramentos na área das acessibilidades, construção de piscinas cobertas, construção de habitação social, recuperação urbana e execução de investimentos relevantes no abastecimento de água e tratamento de efluentes, entre outros.
A autarquia vai também celebrar contratos-programa com as freguesias do concelho para prestação de serviços e realização de obras no âmbito do processo de descentralização e desconcentração em razão das disponibilidades financeiras e no quadro pré-definido pelo Plano de Actividades do município, assumindo o princípio da subsidiariedade. No total, atribuirá às 24 juntas do município, mais de 750 mil euros, somando o valor das transferências correntes e de capital.
O Orçamento para 2006 é, por todas estas razões, considerado um documento “ambicioso”, através do qual o actual executivo se propõe atingir um nível elevado de execução orçamental, em comparação com o que se verificou em anos anteriores. Não são esquecidas, no entanto, as dificuldades financeiras existentes, destacando-se o elevado passivo. De facto, o total dos compromissos assumidos neste momento pela Câmara Municipal ascende a cerca de 26 milhões de euros (mais de 5 milhões de contos).
As Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2006 mostram a vontade da autarquia de construir infra-estruturas essenciais para o concelho e realizar um vasto leque de iniciativas e actividades que conduzam à melhoria da qualidade de vida dos seus munícipes. O objectivo é claro: as pessoas e a melhoria da sua qualidade de vida.
FONTE: CML - site oficial

7 comentários:

Anónimo disse...

Parece que finalmente Lamego vai ver obras outra vez!!!

Anónimo disse...

Quase 20 anos depois de elas desaparecerem...

Anónimo disse...

Em grande o Xico Lopes!!! Vai fazer mais obra num ano do que o Zé Antonio em 8 anos!!!

ODEIO socialistas disse...

EU DIRIA MAIS ,VAI FAZR MAIS OBRA DO QUE OS socialistas EM 16 ANOS DE POLEIRO.

Anónimo disse...

Lamento afirmar que Lamego vive as custas da cunha e do compadrio político.

Em Lamego os cargos públicos não são, nem nunca foram ocupados pelo mérito mas sim pelo compadrio.

Vejam quem manda no:

IEFP -- PSD --- aluno medíocre

Eng. da câmara?

São todas das famílias de "patos bravos" empreiteiros.

Em que as notas dos mesmos muito deixam a desejar em relação aos seus colegas de turma.
Mas que por sinal os melhores alunos não tinham a cunha para a câmara e depois temos de aturar as burridades destes eng. Medíocres

Bombeiros -- comandante -- aluno medíocre


Onde para o mérito em Lamego??????

Anónimo disse...

O mérito de Lamego? Está em ter tirado o Zé António da câmara...

Anónimo disse...

O Eng. Francisco Lopes foi o melhor que podia acontecer a Lamego! Tivemos muita sorte e vamos recuperar o atraso dos ultimos anos!