sexta-feira, março 23, 2007

AQUAPURA DOURO VALLEY

O hotel de luxo “Aquapura Douro Valley“ vai abrir as portas, no início do próximo mês de Maio.
Situado na freguesia de Samodães - Lamego, este hotel vai disponibilizar uma série de serviços que, até agora, não existiam, no Douro.
Esta unidade hoteleira de cinco estrelas resultou da reconstrução e renovação daquilo que foi o imóvel da Quinta de Valle Abraão, propriedade histórica e cultural associada à produção dos famosos vinhos da região agora recuperada e transformada num hotel que oferece 41 quartos e 9 suites com diferentes tipologias e vistas, incluindo uma Suite Presidencial. Encontram-se ainda disponíveis 14 villas com piscina e terraço privado viradas ao rio em estilo moderno e outras 7 entre as vinhas num estilo mais tradicional. Variados jardins e uma surpreendente mata rodeiam a propriedade.


As áreas públicas do hotel, espaçosas e confortáveis, transmitem luxo e relaxamento por toda a propriedade ao mesmo tempo que retiram a noção de tempo e espaço. Num ambiente que revela a fusão entre a filosofia asiática e a cultura europeia, nasce um spa de referência internacional. Várias experiências foram criadas neste espaço de 2200m² desde um laconium ou uma sauna panorâmica até 10 salas de tratamento com luz natural e uso de produtos especialmente concebidos por marcas de prestígio internacional – Karin Herzog e Ytsara.

Ao nível gastronómico e segundo a empresa, o uso de ingredientes locais, com um toque de cozinha internacional, cria experiências gustativas que a “Aquapura” considera como verdadeiras “jornadas de sentidos”.A unidade hoteleira possui, ainda, dois bares, uma piscina exterior aquecida, um campo de ténis e uma mata de 5 hectares classificada, onde existem mais de cem espécies arbóreas.
De acordo com os preçários postos à disposição de algumas agências de turismo, uma só noite, no “Aquapura”, pode custar desde 210€ a 290€ em quarto duplo, 350€ a 1150€ em suite e 510€ a 1550€ para as Villas.
Faça já sua reserva (por exemplo) aqui

16 comentários:

Mendes disse...

olgamos todos em saber que este empreendimento vai abrir em breve. Será, sem dúvida uma valia muito grande para o desenvolvimento de uma vertente de turismo pode, de facto, transformar o perfil do Douro no panorama da oferta tur´sitica. Este empreendimento vai captar o segmento de turistas de até agora não punham cá os pés e que são aqueles que nós mais por cá desejamos ver mas, sobretudo ter. Será o segmento de turistas, estrangeiros ou nacionais,altamente endinheirados que não se importam com o quanto podem gastar se puderem usufruir do que de melhor se lhes pode dar. Parabéns aos empresários pela aposta e parabéns às populações que mais directamente poderão beneficiar dos efeitos colaterais da implantação de um resort como este na sua região. Parabéns ao ARMÁRIO, Presidente da Junta de Freguesia de Samodães. Não lhe deve caber um feijãozinho no olho do..., de tão vaidoso que deve andar. Fica uma chamada de atenção para o novo líder da Região de Turismo do Douro-Sul - é preciso apostar em programas e iniciativas que fixem este segmento de tusristas - falamos de iniciativas no âmbito do turismo de eventos. Apostar na escolha da região para a realização de congressos até agora exclusivos do litoral, saturado, gasto, feio, apostar numa grande feira anual que tenha o turismo como produto de eleição. À atençaõ pois de Melchior Moreira, já que Jorge Osório nunca mostrou estaleca para perceber esta evidência. Outro reparao: afinal, os 300 mil contos que os empresários donos do empreendimneto reclamavam da Câmara Muncipal de Lamego, sem os quais o mesmo não seria viável, não foram precisos para nada. O empreendimento aí está, mesmo sem essa dádiva da Câmara. Lembremos que isto foi uma promessa do executivo de José António Santos, feita aos empresários em nome dos benefícios do investimento para a região. É caso para perguntar: se não tivesse havido mudança de gerência na Câmara de Lamego, e consequentemente a actual maioria na Assembleia Municipal não existisse, para reprovar, como reprovou, por duas vezes, o financiamento que foi prometido pelo Zé António, lá tínhamos nós todos que abdicar de um conjunto de beneficações em obras básicas no concelho porque o dinheiro para o Aquapura não deixava margem de manobra para investir nessas áreas prioritárias para os municípes como saneamento básico, alcatroamento de ruas e caminhos, Teatro Ribeiro da Conceição, Piscinas Cobertas, Biblioteca Municipal, Pavilhão Multiusos, e outras que irão aparecer até ao final do mandato do José Francisco Lopes. É caso para perguntar: Quem queria abotoar-se com alguns euros do erário municipal, à custa do Aquapura? Responda quem souber. Xau, pessoal, até uma próxima.

cinderela disse...

Porque será que alguma gentinha quando ouve, ou melhor lê algumas verdades descambam para a má educação?

Porque será que essa gentinha detesta blogs que trazem verdades a público?

Consciencia pesada?

Falta de argumentos para se convencerem a si de que entregaram Lamego a gente muito muito má?

Vergonha de os terem defendido e um orgulho mesquinho que os impede de reconhecer o que já não mais é impossivel esconder?

Ok. No minimo não sejam mal educados!

Mendes disse...

O que esperavas cinderela? Acho que o melhor é dedicares-te não a ler blogs mas a ver o filme do NODDY. Esse é que é para crianças ou adultos infantis. Aqui discute-se o futuro de Lamego em exercícios de profunda reflexão filosófica. Se não consegues acompanhar, faz como te digo. Liga a TV e v~e se apanhas o NODDY a fazer das suas diabruras inocentes. Mas eu disse alguma inverdade? Disse? Vá diz lá. Disse ou não?

Anónimo disse...

Denna, från början, traditionella melodi är också en populär dans. Kort sagt är det en fylleförhöjare som utspelas på följande sätt:

Sällskapets äldste håller i hatten när musiken börjar. När körsången inleds placerar den äldste hatten på den fullaste personens huvud (därav slangutrycket "fyllehatt"). Den utvalde/fullaste dansar stolt in i centrum av folkmassan - lycklig över att få bära hatten. När "Hatten är din" sjunges skall hela sällskapet sjunga och samtidigt peka på fyllot. Hattbäraren sjunger givetvis "hatten är min"!

En gammal men framgångsrik stämningshöjare som aldrig blir inaktuell! Kom ihåg - nästa gång kanske du får bära hatten!

Lycka till!

Faz-me rir disse...

Só faltava atribuir ao executivo do Xico Lopes, mais este grande empreendimento.
Não me façam cócegas que eu vou-me rir à mesma.

Anónimo disse...

e os encapusados? Novidades, alguem sabe?

Anónimo disse...

Lamego já merece ter um jornal a sério.
Tanto o Lamego Hoje, como a Voz de Lamego, como o Pasquim, não trazem, este semana, uma única palavra sobre a demissão da Comissão de Festas, levada a cabo pelo Presidente da Câmara. Uma Comissão que tinha sido eleita, o ano passado, para um período de 4 anos,apenas cumpriu um ano !!!
Teria sido por causa do rombo de 40.000 euros ???
São estes os jornais que temos...

Anónimo disse...

FAZ TU UM MELHOR SE TIVERES TOMATES, O QUE DUVIDO.

Anónimo disse...

cala-te porco...

Anónimo disse...

Ah!
Por falar em "Aquapura" e num protocolo que só ia dando merda não fosse a consciência mais atenta de algumas pessoas!

Quem pagou o jantar dos proprietários dos Ferraris que andaram a passear-se pelas ruas da cidade de Lamego no fim de semana passado fomos todos nós!
Sabem quanto custa um Ferrari não sabem?
Quem é que terá andado a lamber as botas ao Xico para pagar o jantarito aos pobres dos proprietários ?
Quem terá sido? Adivinhem tem um Mini e cabe lá dentro!!!!! Estava a brincar!..
Quem mais precisa claro!!!!
E, pasmem-se, o Xico pagou!
É que, coitados, de facto a maior parte deles nem dinheiro tem para pagar o seguro do carro e não anda com ele a não ser em concentrações, pagas, claro está com os impostos que o Estado tem aumentado exponencialmente!
É, é mesmo para estas merdas que aumentam os impostos dos Portugueses para andar a pagar os jantares dos pobres dos donos dos Ferraris que tiveram que poupar, sabe-se lá desde que mês do ano passado, para a gasolina que vieram cá gastar (que aquilo gasta pouquito).
Depois o que é estranho é que aqueles Ferraris poucos são propriedade de quem os conduz! São propriedade das empresas de quem os conduz! De empresas???????
Porquê?


AH!
O protocolo com a "Aquapura" apesar de ridiculamente ter algumas contrapartidas ridiculas, como passear no arvoredo em dias de sol e com permisso antecipado de 15 dias, os donos dos Ferraris comeram e cagaram! Foi a unica coisa que cá deixaram!

ah! E espero que não apareça nenhum esperto, como é hábito, em jeito de que lhe serviu a carapuça a dizer o que "tu tens é dor de cotovelo"! É que essa dor a mim já me passou há muito tempo!

Anónimo disse...

Espero que na próxima concentração de Ferraris não haja nenhum Xico esperto que se lembre de lhes pagar a estadia no "Aquapura Douro Valley". Era o cúmulo!

Anónimo disse...

Para desenjoar!
Um tipo de um dos Ferraris que passou por Lamego parou num sinal de Stop. Sim porque semáforos já eram!
Nessa altura, apareceu logo aquele homemzito que chama Dr. a toda a gente a pensar que ia sacar umas moedas:
- Por favor, pode dar-me umas moedinhas para eu comprar uma sandes???
Ao que replicou imediatamente o tipo:
- Não, porque já são sete da noite, e depois não jantas!!!

Anónimo disse...

EU ATÉ SEI QUEM PAGOU OS SEMÁFOROS...

Anónimo disse...

ainda bem que não tem aparecido por cá o anónimo que lança os foguetes e apanha as canas

Anónimo disse...

Quem ?
O Cabral ?

Anónimo disse...

Ex.mos Senhores do Lamego em Foco:

Um tema a que gostaria de ver dado relevo neste blog e se possível com alguma persistência, dado tratar-se de um problema que é real, preocupa todos e a todos diz respeito, é a questão do desemprego no concelho de Lamego.

Mais do que ser abordado neste blog é um assunto ao qual gostaria de ver os senhores autarcas dar a importância que merece.

Não basta dizer que se faz um pavilhão ou uma piscina, que se recupera o teatro ou as estradas em Lamego, se ao essêncial não se dá a devida importância.

O desemprego tem assolado a região de Lamego com um crescimento exponencial.

Apesar de ser uma realidade de que não é dada notícia, ou por falta de dados oficiais (o que revela um grande desinteresse por parte das autoridades competentes) ou porque quem que encontra na situação de desemprego não o associa directamente com a falta de empenhamento por parte dos orgãos autárquicos, a verdade é que o aumento do desemprego na nossa região (Lamego) é cada vez mais elevada

Há que perceber que a a criação de postos de trabalho na nossa região depende essêncialmente do empenho e do investimento da nossa autarquia nesse sentido.

Se vivemos numa região onde o turismo é uma mais valia e para onde devemos canalizar parte do investimnento a realizar, a verdade é que ao fazê-lo sem que se invista também na industralização da nossa região bem podemos dizer que o investimento no turismo apenas beneficiam os turistas porque dele usufruem e alguns comerciantes (poucos).

Há que investir na industralização da nossa região (não só na hotelaria) criando as condições e dando os incentivos necessários para tal e exigindo aos beneficiários desses incentivos a criação de postos de trabalho, para que Lamego não venha a ser apenas uma região da qual só pode usufruir quem por cá passa, porque quem cá vive não tem possibilidades económicas e financeiras para manter um nível de vida digno por ter um salário que o permita.

Pretendo apenas, neste momento, chamar à atenção de um problema que pode trazer consequências graves para Lamego, nomeadamente a sua desertificação.
É bem visível que a população de Lamego é uma população envelhecida e que cada vez mais os filhos de Lamego se vêm forçados a abandonar a sua cidade natal sem qualquer espectativa de regresso pela falta de oportunidades de emprego.

Lançar o problema para a discussão é já um começo.
Os eleitos locais que tratem de tomar a serio esta questão e demonstrar que respeitam os lamecenses!