terça-feira, maio 20, 2008

A GRANDE CIDADE DO DOURO

Esta terça-feira é dado mais um passo para a construção de uma “grande cidade do Douro”, com a assinatura de um protocolo de cooperação que vai transformar três cidades numa só área urbana.


A ideia passa por transformar Vila Real, Régua e Lamego “numa só cidade do Douro” com um eixo urbano de três pólos diferentes, explica Conceição Silva, coordenadora do Douro Alliance.

Envolvidas estão as três autarquias, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, bem como as respectivas associações comerciais e industriais.Ao todo, oito parceiros estão empenhados em dotar o eixo urbano de mais massa crítica e capacidade de desenvolvimento.

Uma das grandes prioridades passa por uma “maior qualidade de vida”, outra pela “promoção da sustentabilidade”, tentando melhorar a criatividade, a competitividade e inovação. [É preciso], “por um lado atrair empresas e, por outro ter um projecto sustentável”, afirma Conceição Silva.As três cidades distam entre si não mais de 30 quilómetros, ligadas pela A24, e têm cerca de 100 mil habitantes, dos quais, 67 mil nas zonas urbanas.FONTE: RR

21 comentários:

ACL disse...

inovadores e geradores de desenvolvimento, responder de igual para igual com os vizinhos Peso da Régua e Vila Real? A ver vamos. Esta oportunidade não pode ser desperdiçada Desejo também que não se subjugue perante a grandeza dos seus pares. Acredito que Lamego vai responder com muita força e passar esta etapa. Boa Sorte!

Chico do Pinto disse...

Pelo que me parece, o moderador deste blog (seja ele quem for) tomou, finalmente, uma decisão que para acabar com os comentários anónimos deste blog!

Estou certo que o nível das "conversas" vai subir, pelo menos assim o desejo!

Sr, moderador: Aleluia!

ACL disse...

Bom, eu concordo que alguma coisa tinha de ser feita para barrar certa indecência que apare-cia no blogue, mas estou a estranhar os efeitos, não aparece ninguém! Tanto silêncio? Será que os comentadores estão a protestar? O acesso continua a ser fácil! Aguardemos e vemos.

Murilovsky disse...

Espero que assim se consiga discutir o que realmente interessa e se deixa o acessório para o que é acessório....

Chico do Pinto disse...

Os comentários vão diminuir drasticamente. Não tenham dúvidas!

Sr.Abade não disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Murilovsky disse...

No anterior eixo, lamego e Régua foram completamente "comidos" por Vila Real.
Espero que desta vez tal não se repita e que os diversos projectos a implantar o seja pela sua qualidade e necessidade e não pelo peso politico qu7e se tenha ou deixa de ter.

É tempo de o interior se unir de forma a encontrar o caminho do desenvolvimento e da coesão, tal pode ter como caminho a implantação de projectos intermunicipais de qualidade.

A ver vamos.....

SANTAGOTA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Cientista Lamecense desenvolve robot para detectar buracos nas finanças das autarquias.

Eulálio Mortiço, um primo muito afastado de Albert Einstein, residente algures entre Lamego e uma obra sem fim à vista, já foi convidado como orador, para os maiores colóquios sobre ciência, tecnologia e a arte do Desvio e Falsas Promessas. Tudo porque Inventou um robot capaz de detectar buracos nas contas da maior parte das Câmaras e outras instituições públicas. “ E não polui, porque trabalha a energia dispendida pelos candidatos em tempo de eleições que depois é armazenada num saco de ráfia e serapilheira e bem atado com um cordão de sapato de pala, os melhores para conservar intacta essa energia", explicou o genial Eulálio.
Sabe-se por aí que este Génio já começa a ser venerado por tudo quanto é oposição que o aclama mesmo de “O CRIADOR” e a Epifania do Sec. XXI que, em vez de ser celebrada no 12º dia após o Natal Cristão, passará a fazer parte das “reentré” do PS todos os 367 dias depois do Dia de Reis Espanhol; isto segundo a reforma do calendário litúrgico que o partido socialista quer implementar com a ajuda das testemunhas do reino de Deus e respectivas dízimas para melhor enriquecer o reino dos verdadeiros Homens com “ègá” gRANDE.
A princípio, este cientista deparou-se com um problema já que a maior parte dos buracos não tinham fundo enquanto outros beneficiavam de fundos incertos e difíceis de localizar levando a que cada vez que o robot lá caísse lá se ia o investimento pelo buraco abaixo, o que tornava inviável o projecto “Eulálio”, mas as promessas de MUNDOS e FUNDOS dos candidatos aos poleiros bem pendurados sobre as “falhas”, resolveram a coisa.. “ A ideia é empurrar alguns desses candidatos e aproveitar só os FUNDOS prometidos ficando assim um buraco com um fundo onde se possa chegar; quanto aos MUNDOS que prometem, servirão de tampão para que o fundo não possa de lá sair”. Um verdadeiro tesouro!..., exclamou NaTalha Achado!... “Não sei não”, duvidaram os restantes candidatos canhotos temendo também ir parar ao fundo de buracos que até poderiam ficar de repente cheios de espinhos em vez de belas rosas!... “ É que as eleições para as Autárquicas estão aí à porta e se prometermos MUNDOS SEM FUNDOS vai ser um AFUNDANÇO do caraças…”, Mas uma aparição de Zé Tônho dos Cantos resolveu o problema com a singela ideia de uma implícita facadinha nas costas de Eulálio Mortiço que de seguida seria empurrado para um dos muitos buracos detectados por um dos seus muitos robots."Agora só precisamos que alguém nos ensine a cavar destes fundos até ao gabinete, buraco maior", apelou um botãozinho rosa com mais de quarenta anos e a querer desabrochar.

Antunes Varela disse...

Muito se tem falado da pouca afluência de público no Teatro Ribeiro Conceição.

Venho aqui divulgar um estudo independente sobre os hábitos culturais dos Lamecenses.

Grosso modo, temos: 96 por cento dos inquiridos diz que «ver televisão» é a sua primeira «actividade de entretenimento». «Ler», apesar de ser mencionado por 35% dos inquiridos, só 1% deram "ler livros" como a sua primeira resposta.

Só lêem os “jornais da bola “e a “ Maria”. Adiantou um observador.

Outras actividades muito frequentes nos hábitos dos inquiridos (diárias ou «pelo menos uma vez por semana») incluem ir ao “corrumba”ver um “show striper”, visitar sites porno e comentar no Lamegoemfoco.com…

Depois de tudo isto, ainda haverá tempo para o TRC?

Lamego - Douro...o blog disse...

ó Antunes Varela tiveste muito bem!

Acredito sinceramente que os hábitos culturais dos Lamecenses não sejam os melhores. Voltar a cativar o interesse das gerações mais jovens é um desafio enorme para as estruturas que gerem os espaços culturais de Lamego. Espero que sejam bem-sucedidas...

Quanto ao eixo Douro-Alliance, espero que consiga trazer desenvolvimento, de uma forma igualitária, às três cidades.

Diz-se que este projecto não é mais que um aproveitamento do antigo eixo a que apenas mudaram o nome. Que seja! Se for para o bem da nossa região não me importo nada. Mas uma coisa muito diferente aconteceu desta vez: os três autarcas rumam ao sabor dos mesmos ideais. Espero que seja um ponto a favor. A ver vamos...

Roger Moore disse...

Lamego há uns anos atrás era igual ou superior a Vila Real ou mesmo Viseu.
Fomos ultrapasados devido à incapacidade dos nossos governantes que nãotomaram as opções correctas. A única coisa que se fez com cabeça foi o Movimento de Restauração do Distrito de Lamego, ao qual os lamecenses e alguns políticos locais, comprometidos com Viseu, viraram as costas.
Hoje assiste-se a um fortalecimento cada vez maior das capitais de distrito

Roger Moore disse...

O Movimento da Reconstrução do Distrito de Lamego, foi o único projecto válido para Lamego e região circundante.
Não terámos perdido o hospital, a universidade e alguns servioços centrais!

Chico do Pinto disse...

Na minha opinião, seria muito difícil conseguir a re-elevação de Lamego a distrito.

Lamego tem que saber trabalhar com o que tem e potenciar as suas mais valias.

O que falta afinal, para ser construído finalmente um Campus Universitário?! Os nossos governantes estão à espera de que para disponibilizar terrenos para a sua construção? Julgo ser essa, a única exigência por parte do Politécnico de Viseu...

Está mais que provado que a aposta no ensino superior é a mais acertada para as cidades do interior. Só assim se consegue cativar habitantes, investimento e tudo o que deles provém.

O Turismo tem, também que ser promovido.
Não basta esperar que os visitantes cá apareçam!
Temos uma cidade lindíssima com inúmeros monumentos para serem visitados mas é necessário proporcionar a esses visitantes uma experiência diferente que faça distinguir Lamego nas suas memórias! É necessário voltar a cidade para os turistas! Em todos os locais de possível interesse turístico deveria existir uma descrição do que as pessoas estão a ver. Deveriam existir pela cidade mapas turísticos com todos os locais a visitar assinalados.
Nem todos os que nos visitam têm consigo um guia turístico!
Os centros históricos devem ser urgentemente reparados, no mínimo as suas fachadas.
Os próprios monumentos devem ser regularmente limpos e conservados.
A Câmara Municipal poderia (deveria) criar uma equipa especializada na manutenção/limpeza de monumentos e espaços públicos. Não é Lamego a "cidade jardim"?

ivilar disse...

Ó Varela não é comentário que se teça?
Não me admira nada, que se trate de uma extrapolação nacional.
Vejamos:
O Varela diz, que, segundo estudo independente sobre os hábitos dos Lamecenses, a afluência ao Teatro Ribeiro Conceição é pouca, e, a causa de tudo isso, é, os Lamecenses não terem tempo, rque o gastam a ler a revista Maria, a ir ao “corrumba”ver um “show striper”, a visitar sites porno e comentar no Lamegoemfoco.com. Ou seja uma autêntica desgraça.
Em meu entender, o Varela está a elaborar um erro.
Primeiro porque os estudos independentes revertem a favor de quem os encomenda. E assim, são viciados (não revelam a verdade), convém não esquecer a crise (“a vida está difícil”) financeira que o país atravessa, e, essa, é o INE quem o diz.
Segundo, também não nos pode esquecer, que é muito importante as peças que são exibidas e o elenco de artistas que as exibem, sejam de qualidade.
Não tenho dificuldade em acreditar que todo esse cenário pode ser alterado, embora deva sempre prevalecer o bom senso. É bem verdade que o Teatro Ribeiro Conceição é uma infra-estrutura cultural e de lazer das melhores que o país tem. Além disso é motivo para perguntar o que teria levado os Lamecenses a construir no passado uma infra-estrutura desta natureza? Mania das grandezas?
Rentabilizar uma casa de teatro hoje em dia é tarefa delicada, mesmo nos grandes centros urbanos, como Porto e Lisboa. Em Lamego há 18 mil e tal habitantes: Porto 220 000 e tal habitantes e Lisboa terá 550 000 e tal habitantes e nem por isso conseguem encher as salas de teatro, será que a crise de bilheteiras nos teatros tem a ver com necessidade de as pessoas aplicarem os recursos em bens mais prioritários?
Ir ao teatro é um paliativo, mas, de barriga cheia! Há também factores culturais que nos predispõem a ir ao teatro.
Eu não estaria preocupado que a fluência ao teatro numa determinada altura, certo que num tempo posterior poderia recuperar.
Também entendo que uma casa de teatro numa autarquia de interior presta um serviço público. Um serviço público não deve depender da bilheteira?

jojesa disse...

Sou adoptado desta cidade por motivos profissionais. Desde pequeno que visitava esta cidade com os meus pais e achava-a um espectaculo. Cresci e devido ao meu emprego aqui vim parar.
Contudo, só daqui não saí por não tinha alternativa, senão...
Li muitas criticas ao actual presidente da câmara, mas, os factos demonstram que pela cidade, já fez mais este em apenas dois ou três anos, do que os trinta e tal de que me recordo. Mentira?!... A que preço perguntarão, não sei, mas ve-se obra. Aumentaram a água, que a aumentem mais mas apareça obra.
Para não fugir ao assunto, este eixo, na prática vai ser o quê? Não sei, mas se for para dinamizar a cidade, dar-lhe brilho, motivar os lamecenses, construir oportunidades, assim seja. Mas, sinto que, pelo andar da carruagem, os lamecenses têm aquilo que merecem.

ivilar disse...

Quanto à ideia de transformar Vila Real, Régua e Lamego “numa só cidade do Douro”, espero bem que seja um bom casamento. Todos sabemos até onde pode ir o egoísmo de certas pessoas? Terá que haver certos cuidados, não vá o diabo tece-las! Uma solução, seria encontrar uma equipa coordenadora exterior aos interesses dos três pólos. Para lá disso, o facto do XL ser da Régua, pode ser um factor de dúvida e vir a sentir a tentação de favorecer os conterrâneos, espero que os Lamecenses exerçam uma vigilância adequada para assim evitar males maiores.
Não se deve à partida abdicar, com receios e dúvidas de que o sistema possa vir a ser viciado. Se tudo correr bem, será uma boa oportunidade para os três pólos, pois trata-se de juntar forças para chegar mais longe, assim o espero e Lamego merece.

Antunes Varela disse...

ivilar disse ,“Um serviço público não deve depender da bilheteira?”

Um serviço público sem público, é tão só despesa pública!

totodasbersas disse...

mt bem varela, mt bem ivilar. assim é que é comentar.
parabéns ao civismo.

Aitarak disse...

eh lá!

Isto agora tá culto, comentários elaborados e tal e coiso!

Gosto disto!

Anónimo disse...

Já visitei Lamego e adoro é lindo .....