sexta-feira, setembro 28, 2007

TEM RAZÃO, SR. DIRECTOR!


As grávidas deste país foram acometidas, nos últimos tempos, pelo vírus do desleixo.Isso mesmo se depreende das palavras do director-geral da Saúde, Francisco George, reproduzidas pelo jornal Correio da Manhã, após uma mãe ter dado à luz numa ambulância dos Bombeiros Voluntários de Fátima, quando era transportada para o Hospital de Leiria.“Vão nascer mais crianças em ambulâncias se as mulheres não tiverem cuidado aos primeiros sinais de trabalho de parto e não tomarem medidas”, afirmou o director-geral explicando que “não há nenhuma criança que nasça em minutos” e que o “trabalho de parto não é instantâneo”.



Tem razão senhor director-geral. Nenhuma criança nasce em minutos, mas nasce nas duas horas que os bombeiros de Ervedosa do Douro têm que percorrer para levar as parturiantes para Vila Real, quando antes gastavam metade do tempo para chegar à Maternidade de Lamego. Ou nos mais de 60 minutos que os bombeiros de Resende levam até chegarem a Viseu ou a Vila Real.

Tem razão senhor director-geral. Desleixo, ou descuido para usar um eufemismo, é o substantivo que encaixa naquela mãe que, no dia 19 de Dezembro de 2006, teve um bebé, na sala de ecografias das consultas externas de obstectrícia do Hospital de Lamego, depois de ter passado diversas vezes pelas urgências do Centro Hospitalar de Vila Real - para onde são encaminhadas as grávidas depois de ter sido encerrada a maternidade do hospital de Lamego - com sintomas de contrações.

Tem razão senhor director-geral quando diz que, com o encerramento das maternidades, no quadro da reestruturação do sistema de saúde, vai “descer o número de mortes infantis e perinatais” e que dentro de cinco anos “200 crianças”, que é um número bem redondo, “vão deixar de morrer” e para isso o governo tem que “concentrar os especialistas e os equipamentos”.

As mães é que vão ter que “correr” e vencer os minutos a mais que agora as separam das maternidades e os bombeiros vão ter que se substituir aos profissionais de saúde, que andavam por aí espalhados e que o governo entendeu que estavam melhor concentrados, para ajudar a cumprir as metas anunciadas por si. FONTE: JORNAL DO CENTRO

30 comentários:

nani-nani-nani disse...

Caro Fernando Cabral.
Continuas a não dar uma para a Caixa.
Agora até já queres saber mais do que as pessoas inteligentes.
Reduz-te à tua insignificância.

Anónimo disse...

FERNANDO CABRAL A MINISTRO DA SAÚDE... JÁ.

Anónimo disse...

Desleixo ou descuido...
Chamem-lhe o que qizerem.
Já aqui neste bloguer foi referido.
A responsabilidade só pode ser atribuida ao pessoal médico e de enfermagem, porque não fazem o acompanhamento da parturiente.
Um ou dois dias antes da criança nascer, a parturiente deve se encaminhada para a maternidade.
SENHOR DIRECTOR GERAL DA SAÚDE, já chega de demagogia.
Mande proceder aos respectivos inquéritos.
Castigue quem errou.
Os Portugueses têm o direito de saber como funcionam os Centros de Saúde.
CHEGA DE FALHANÇOS.

doutor médico disse...

Totalmente de acordo com o anónimo da 1:58.
Queremos saber quem anda a boicotar o trabalho do Ministério da Saúde.
Médicos ou enfermeiros ou outros têm que ser responsabilizados pelo que está a acontecer.
Vamos a meter essa gente na ordem.

Anónimo disse...

Sem dúvida alguma...
BOICOT.

Anónimo disse...

Com este bocadinho de chuva que hoje caíu as tampas do saneamento da Av.5 de Outubro andavam todas a boiar.

desmaios múltiplos disse...

Esta PALHAÇADA que está a acontecer com a saúde em Portugal tem que acabar e depressa. Não vir a ETA fazer aquilo que as FP25 de ABRIL devia ter feito e não fez, que era MATAR todos estes PULHAS que querem acabar com o interior do país e centralizar tudo nos grandes centros, XUXAS de MERDA.
(DES)GOVERNO PARA A RUA... JÁ!

Anónimo disse...

S.O.S.
Já se fala que já faltam poucos dias para fecharem mais serviços no Hospital, serviço de urgencia.
Agora a que vamos morrer mais rápido.

Anónimo disse...

Vai ao médico. Estás a ficar mesmo doente da mona.

Anónimo disse...

Queremos um Portugal moderno e não um país de terceiro mundo.
Reformas para a frente.

Anónimo disse...

Estive internadouns dias no Hospital.
Nos fins de semananem roupa havia para camas.
Os empregados já não sabiam o que fazer,na antiga administração roupa numca faltava.
Estamos no fim da saúde, assim quer o governo para não pagar reformas e nascimentos.
Assim só nos resta morrer.

Anónimo disse...

Sou funcionário do Hospital de Lamego e tenho que dizer aqui que aquilo que o interveniente anterior afirma á pura mentira.
Nunca aconteceu faltar roupacomo ele diz.

capitão torto disse...

o anónimo da 1:58 não deve ter filhos ou nasceram todos de cesariana e com data marcada. O meu amigo acha que o Hospital de Vila Real tem 50 camas para grávidas em espera? E se a criança nasce prematura? e se há deslocamento da placenta ou outra complicação urgente?

Provavelmente o meu amigo considera que grávidas com mais de 7 meses devem ser internadas à espera do parto...não sei se o seu amigo ministro gostará da sugestão.

Se o seu amigo quer concentrar serviços que os concentre no interior.

Anónimo disse...

caro capitão torto disse:
Se a Senhora grávida estiver com hemorragias. Os serviços do Hospital Distrital de Lamego, têm condições para a socorrer ( como aliás têm vindo a acontecer) e depois da situação estabelizada, se assim o entenderem será encaminhada para para os serviços especializados.
Esta mesma situação adapta-se é um nascimento permaturo (gravidez de sete meses).
Julgo que o Hospital de Lamego tem condições para que as mulheres naquelas situações não corram perigo (mal de nós).
Claro que com 7 meses de gestação e numa situação normal não necessita de internamento.
Em situação ANORMAL, claro que justifica atenpadamente o internamente, na especialidade respectiva.
O Hospital de Vila Real - tem 50 camas- para grávidas.
Se dirigir a pergunta ao Director daquele Hospital, verá que lhe vai responder afirmativamente.

Anónimo disse...

Lamecenses e não só...
Devemos exigir dos responsaveis pela saúde em Lamego e do País...
Digam quais os serviços que ao Hospital Distrital de Lamego foram atribuidos.
Depois sim...
Vamos exigir que os mesmos sejam exercidos por bons profissionais.
Que ainda os HÁ...

Anónimo disse...

Completamente de acordo com os anónimos das 3:22 e 3:26.

É conveniente ensinar quem não sabe.

Anónimo disse...

adoro quando falam de mim ...
Farnando Cabral

Anónimo disse...

Mesmo quando é para te descobrir a careca ???

ppd/psd disse...

Alguém me sabe dizer quem ganhou, na secção de Lamego, nas eleições da passada sexta-feira ?
Marques Mendes ou Filipe Menezes ?

Anónimo disse...

Gostava queo funcionário do Hospital de Lamego que ele anda mal informado,ou deve ser mais um da graxa.
Ainda hoje lá fui ver uma pessoa amiga e mesmo ela me disse que hoje de manhã não haviaroupa para as camas.
porque dizem que a Dr. da roupa que usa bata branca aberta para lhe chamarem Dr.

Anónimo disse...

Tu deves ser da casa e sabes que estás a mentir.

Anónimo disse...

Mendes-131; Menezes-53. O Gamandio e a Magueijeira levaram na peida. Viva o novo PSD

Anónimo disse...

Os últimos estudos são claros. A mortalidade peri-natal diminui significativamente, em Portugal, durante o último ano.
Ó Cabral não tentes explicar. Poupa-nos das tuas imbecilidades.

sabichão disse...

Eu não digo que o Cabral tem a mania que sabe de tudo ?

Se ele publica livros totalmente copiados !!!

Agora até sabe de obstetricia.

Inteligente este rapaz.

Anónimo disse...

Vai dar formação em pichelaria.
Tens de primeiro contactar o Moisés Coelho.

e então fez-se luz... disse...

www.espigueiro.pt

01-10-2007

Nova distribuição de pelouros na Câmara de Lamego

O Presidente da Câmara Municipal de Lamego, Francisco Lopes, procedeu recentemente à redistribuição dos pelouros da autarquia devido ao facto da Vereadora Teresa Santos ter passado a exercer funções de Presidente da empresa municipal “Lamego ConVida EM” e funções de vereadora em regime de não permanência.



Esta redistribuição é feita no uso das competências que lhe estão conferidas pelo artigo 69º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei nº5-A/2002, de 11 de Janeiro.
A redistribuição de pelouros é válida nos seguintes termos:

Presidente – Francisco Manuel Lopes
• Obras Municipais
• Urbanismo e Desenvolvimento Económico
• Administração Geral
• Recursos Humanos
• Finanças e Património
• Turismo
• Habitação Social e Fundo de Solidariedade
• Gabinete de Comunicação
• Gabinete de Fiscalização


Vice-Presidente e Vereador dos Serviços Urbanos e Acção Social – Amândio do Carmo Fonseca
• Gestão redes de água, saneamento e electricidade
• Manutenção de vias de comunicação e trânsito
• Manutenção de edifícios e equipamentos
• Armazém e Oficinas
• Feiras e Mercados
• Acção Social (CLAS, CPCJ e Assuntos Sociais)


Vereador do Ambiente e da Protecção Civil – Manuel José do Carmo Coutinho
• Protecção Civil
• Parques, Cemitérios e Jardins
• Parque Biológico e Canil Municipal
• Projecto Quinta Dr. João de Almeida
• Limpeza Urbana, Higiene Pública e Sanidade Veterinária
• Transportes Públicos Urbanos (Verdinho)
• Cantina Municipal


Vereadora da Cultura, Educação e Desporto – Teresa de Jesus Costa Santos
• Presidente da Lamego ConVida EM
Pelouros na Câmara Municipal de Lamego:
• Cultura
• Educação e Formação Profissional
• Transportes Escolares e Transportes Diversos
• Juventude, Loja Ponto Já e Espaço Internet
• Desporto
• Bibliotecas, Arquivo e Documentação

Anónimo disse...

Quem fica responsavel para trabalhar com o Máriozinho e o presidente da Cooperativa Agricola do Val do Varosa (FALIDA) Rogério de Oliveira Martinho, no negócio da china, da baga de sabugueiro?
A que a Câmara Municipal de Tarouca já custeou as despezas com a deslocação à Alemanha de vários dirigentes da nova sociedade; aliás o XI XI Lopes tambêm faz parte daquela sociedade.
Alguem do Executivo da Câmara de Lamego estará em condições de informar o que se lhe oferecer sobre o assunto???
Srs. membros da Assembleia Municipal de Tarouca, no PLANO DE
ACTIVIDADES, aquelas despezas estão contempladas???
Não sabem responder...
AMEN.
AMEN.
AMEN.

Anónimo disse...

Ao funcionário do Hospital de Lamego só quero dizer que gostava de lá trabalhar.
Trabalham 35 horas e eu no meu trabalho são 48 horas semanais.
A roupa até pode perguntar aos bombeiros quando eu estive lá nem robes tinham para os doentes irem fazer exames.
Diga que foi mentira.

Anónimo disse...

Não sabes o que dizes

Anónimo disse...

Não sabes o que dizes