terça-feira, setembro 04, 2007

CORTEJO ETNOGRÁFICO

7 comentários:

XXXX L disse...

www.jn.pt

Senhora dos Remédios atraiu 300 mil pessoas

(por Eduardo Pinto)

Sábado, 8 de Setembro. Às 16 horas em ponto soaram os primeiros foguetes, junto à igreja das Chagas, parte alta da cidade de Lamego. A procissão do Triunfo, em honra da Senhora dos Remédios, iniciava a marcha. Passeios bordados de gente chegada de todo o Norte e Centro de Portugal, alguns do Sul, pela fé, pelo passeio, pela tradição. "300 mil pessoas!", na estimativa da comissão executiva que é encabeçada pelo presidente da Câmara Municipal, Francisco Lopes.

"Isto parece o inferno" escarnecia Maria dos Anjos, 67 anos, perante tamanha multidão na Avenida Dr. Alfredo de Sousa. Chegara tarde para encontrar uma nesga de 30 centímetros quadrados, onde pudesse ajeitar o banquinho adquirido minutos antes a um dos muitos concorrentes do senhor Duarte, da Régua, que andava, rua acima rua abaixo, a trocar cada dois bancos por cinco euros. "O negócio? Bah! Podia ser melhor".

Ainda não era meio-dia e já a dona Gabriela se tinha "abancado", à sombra, no passeio da rua Macário de Castro. A procissão havia de passar ali cerca das 17.30 horas. "Não me importo de esperar desde que tenha lugar para ver Nossa Senhora". "É a fé, meu filho, é fé!" benzia-se Maria Pinto, a caminho dos 91 anos, também ela à espera do barco cheio de crianças que, puxado por duas juntas de bois, transporta a senhora dos Remédios.

Filas sem fim

Sim, só pode ser fé. "Desde as 10 horas da manhã que entrar na cidade é uma aventura", protestava Paulino Freitas. Ora, a Susana Cardoso valeu-lhe o ar condicionado do carro para "abafar um pouco a carga de nervos" provocada pela hora e meia que levou a percorrer cerca de três quilómetros entre a A24 e o centro da cidade". "Há muito tempo que não me lembrava de ver tanta gente na festa", acrescentava José Lopes.

A festa dos Remédios coincidiu com o fim-de-semana e o tempo esteve bom. Foi por isso que José Teixeira, de Chaves, foi pela primeira à Romaria de Portugal. Convencido pela sua familiar, Cecília Ferreira, chegaram sexta-feira para o cortejo da Batalha das Flores, divertiram-se na "noitada", e abalaram depois de passar a procissão. À noite, a cidade não parecia a mesma.

Um caos nos acessos

A "invasão" a Lamego dos últimos dois dias esgotou, inevitavelmente, a capacidade hoteleira da cidade". O bom tempo facilitou as alternativas ao relento, fosse em tendas de campismo ou num cobertor estendido na relva. José e Cecília passaram a noite com respectivos familiares nos próprios carros. Para comer, "merenda que dava para oito dias", atirava Cecília". Hoje o consumo é menor e os empresários da restauração reconhecem-no. A maior facilidade no acesso à cidade faz com que as pessoas cheguem de manhã e partam à tarde. Só que todos chegam de carro e o caos instala-se. O autarca, Francisco Lopes, diz que o cenário poderá melhorar quando for construído um túnel sob a escadaria dos Remédios e uma circular que abrirá um novo canal de acesso à auto-estrada n.º 24.

escandalizado disse...

A Marcha Luminosa foi um enorme fracasso.
Os grupos (figurado vivo) tirando o da Letónia, eram de infima qualidade.
Tinham-nos prometido dois grupos da Letónia e Bandeirantes de Itália, só veio um da Letónia e dos bandeirantes nem sombra.
Tentaram colmatar estas lacunas com avestruzes e lagartas que já estamos fartos de ver nos carnavais de Ovar, e que só vieram estragar os cortejos.
Como se não bastasse tanto a Marcha como a Batalha circulavam a passo de lesma o que lhe tirou o brilho e a animação.
Quando os cortejos paravam ,e isso aconteceu imensas vezes, os grupos deixavam de se exibir, dançar e tocar, dando tempo aos elementos dos grupos para se sentarem na beira dos passeios, o que deu uma nota péssima para a assistência.

O fogo de artificio, foi duma pobreza nunca vista.
Tenho 50 anos e nunca me lembro de coisa tão fraquinha.

à noite na feira não se podia circular na Avenida, tal era a quantidade de feirantes que montaram banca mesmo no meio.

Qua anda a fazer o fiscal Tonibé?

Porque autorizou esta bagunça.
O que estará por trás de tudo isto ?

Responda quem souber.

E já agora :Porque não houve nenhuma banda de música no dia 7, véspera do dia principal, como sempre aconteceu ?

No meio disto tudo, valeu a Procissão de Triunfo.

Parabéns ao Padre Albano.

Luis Osório disse...

Valha-nos a Procissão, porque os festejos, organizados pela Câmara foram na realidade um enorme fracasso.

Lá diz o velho ditado; "a tenda quere-se na mão de quem a entenda".

Porque acabou o Presidente da Câmara com a Comissão de Festas???

Foi para imitar o AMândio quando esta tomou de assalto a Comissão de Menores ???

As festas, a este Presidente nada dizem e os lacaios que ele arranjou para ajudar na organização são iguais a ele.

Demitam-se todos por favor, porque este ano foram tantos os erros que já não têm conta.
Ainda bem que já acabam hoje.

Anónimo disse...

Silvestre Conde expulso do PSD. Finalmente, uma boa notícia. A justiça tarda mas não falha.

Anónimo disse...

A Procissão correu muito bem, segundo li aqui, graças à não participação de um tal "queijeiro abantesma" que, ao que parece, mandava naquilo tudo. E como a tenda quere-se na mão de quem a entenda, foi um corso degradante.

Anónimo disse...

Ouve algum cortejo etnográfico ?

Anónimo disse...

APELO A TODOS OS LAMECENCES PARA RECEBEREM O SR. MENTIROSO CORREIA DE CAMPOS QUE QUANDO ABRE A BOCA SOBRE LAMEGO SO MENTE,AGORA VEM A LAMEGO PARA INAUGURAR A (U.S.F)= FALSA UNIDADE DE CUIDADOS PARA ENGANAR MAIS UMA VEZ A NOSSA TERRA. DEVE SER RECEBIDO COM B.M. SE FOSSE NO TEMPO DO GESTOR DO LIXO TINHA ARRAIAL E BEIJINHOS NA CAMARA Á PORTA FECHADA.